Chef Dudu Camargo

No comando operacional e gastronômico de uma Rede de Restaurantes, o chef Dudu Camargo revela-se cada vez mais uma pessoa criativa e empreendedora, apostando na diversidade da gastronomia. Prova disso são os diferentes estilos das casas, que contam desde pizzarias à comida contemporânea. Hoje, aos 41 anos, conquistou respeito por seu talento e visão de futuro não apenas na capital federal, que este paulista abraçou como sua casa, mas sim nacionalmente.

Dudu apostou em Brasília quando ainda engatinhava no ramo gastronômico. “Nos últimos anos a cidade cresceu surpreendentemente tanto em números de restaurantes, quanto na qualidade dos pratos e dos serviços oferecidos. Dados mostram que hoje somos o terceiro pólo gastronômico do país, porém ao invés de criar um cenário de concorrência, os empresários desse setor estão cada vez mais unidos, como acontece nos festivais, pois sabem que isto é bom para todos!”. Ele completa ainda que toda a cidade sai ganhando, gerando empregos e contribuindo com o turismo.

Mesmo comandando tantos restaurantes (duas pizzarias Fratello Uno (103 sul e 109 norte), Dudu Camargo Bar Restaurante (303 sul), Dudu San (somente para eventos – (61) 3225.2010), além da pizzaria Stravaganzze no Rio de Janeiro, Dudu encontrou pique no ano de 2010 para apresentar mais uma novidade, a lanchonete Respeitável Burger (402 sul). “Temos um público exigente que gosta de variar aqui em Brasília. Por isso aposto nos diferentes tipos de cozinha, oferecendo um mix de serviços para meus clientes”, explica.

E o tino de Dudu para a gastronomia está no sangue. Filho do renomado chef Eduardo Camargo, Dudu teve seu talento revelado aos treze anos, quando começou a ajudar no restaurante da família e foi desenvolvendo seu dom, tendo ali sua grande escola. Hoje, autodidata, o chef está sempre pesquisando novos sabores e explorando novos ingredientes, seja no Brasil ou em seus tours pelo mundo afora.

Nos últimos tempos, Dudu ergueu a bandeira da Cozinha de Autor, conceito o qual acredita ser a tendência para a gastronomia moderna. Esta concepção permite que o chef abuse de sua marca registrada: a criatividade. “Na cozinha de autor podemos experimentar da forma que desejarmos. Fugimos um pouco daquelas receitas engessadas, que os livros de receitas nos trazem. Não que elas não sejam mais úteis, pois até com elas podemos brincar e imprimir ali nosso toque pessoal” ressalta.